terça-feira, 9 de novembro de 2010

Liberdade para a imprensa; liberdade para a Comunicação



Liberdade para a imprensa: um bom caminho para que a gente separe o joio do trigo e aparte a intenção jornalística da segunda intenção.

A democratização dos meios de comunicação não deveria ser vista como uma caçada às bruxas (elas existem?), mas como uma ação no sentido de oportunizar a propagação e a contraposição de diferentes conceitos e, sobretudo, de garantir o cumprimento de uma lei que já existe.

É urgente dispormos de opções para comparação, além da exposição de verdades factuais, apenas elas. O mundo ao qual temos acesso por meio dos veículos de comunicação hoje disponíveis à sociedade brasileira, na minha modesta opinião, não corresponde a algo verdadeiro, no sentido de que não apresenta a verdade inteira; é desprovido de riqueza cultural, alheio ao conhecimento já acumulado pela humanidade e dotado de pouquíssima isenção. Oferece um conteúdo pobre, orienta-se, praticamente, apenas pelo ganho material e relega o intelecto de seu público ao mais baixo dos planos.

Agora, assista a dois filmes, em três partes. As primeiras duas partes são de Levante sua Voz, um curta-metragem que trata dos veículos de comunicação brasileiros e do regime de concessão de espaços públicos para emissoras de rádio e televisão, entre outras questões relevantes ao tema. Mais adiante (ou abaixo, como preferir) está Muito além do Cidadão Kane, este, por sua vez, tem como objeto apenas a história da Rede Globo. Assista e ponha pra funcionar aquilo que está entre as suas orelhas. Será um privilégio contar com a sua opinião nos comentários deste post.





Muito além do Cidadão Kane
Um documentário contando um pouco da história da Rede Globo.

2 comentários:

Anônimo disse...

Boas ´materias!Boas músicas!
Muito bom!!

André Argemi disse...

Anônimo,
um abraço e obrigado por ter vindo.
André